Chats To Luel <3
Aqui estão histórias e chats inspirados nos nossos sonhos, de nos sentirmos mais próximos do nosso príncipe. Venha sonhar também.
Home ask Envie sua ideia Chats
C4-pacitada©
1 2 3

MINHA PIANISTA - PARTE 2 FIM (MINI CONTO)

  • Quando ele acordou eu tava pronta pra ir trabalhar. Ele me olhou com um olhar doce, como ele podia ser tao sinico... pensei. " Sophia tem a chave, por favor leve ela na escola e ... ve se nao faz ela chorar. Ele nao entendeu nem minhas palavras nem o tom da minha voz. Ele me pede pra esperar e explicar. Eu nao poderia ser como ele e falei tudo e com uma carinha triste e ele começou a me explicar. Nao imaginei que em menos de 24 horas eu iria ver o sorriso mais lindo no rosto de Sophia e a expressao mais triste. Pior que nao era so ela, Luan estava com aquela mesma carinha e... por mais que a decisao fosse minha eu tambem tambem tinha aquela cara. Luan voltou pro Brasil e saiu o anuncio que ele teria reatado o namoro e que tava prestes a casar. Apesar de ja saber fiquei arrasada. Sophia nao queria mais aquela vida, nao queria tocar muito menos se apresentar e todos os dias pedia pra morar no Brasil. Ela temia que Luan tivesse outros filhos e perdesse o carinho dele. Aquilo nunca ia acontecer mas com certeza um filho proximo dele iria receber mais atencao que ela que ele so via de anos e anos. Ja fazia tanto tempo que morava longe, eu nao sei se seria o melhor a fazer por mim, mas quando a gente se torna mae a felicidade do filho se torna uma prioridade e Sophia tava muito triste, de uma forma que nunca tinha visto. Entao... voltamos. Pra minha surpresa Luan se propos a arrumar uma casa pra nos. Quando cheguei Brasil a casa ja tava pronta e linda... no mesmo condominio que o dele. Ele deixou uns dias livres na agenda pra aproveitar so com Sophia. Em pouco tempo ja era noticia que a filha de Luan Santana tava no Brasil. Tive medo da midia sufocar Sophia. Vieram muitos atras de uma entrevista e nao so porque ela era filha do Luan e sim porque o trabalho dela era muito conhecido aqui. Eu nao sabia como proceder e deixei por conta de Luan o que nos aproximou ainda mais.
  • Tanta coisa estava mudando em minha vida. Sophia parecia uma nova menina, com uma alegria fora do comum, ela tava numa nova realidade, aproveitava Luan ao maximo. Eles davam algumas entrevistas juntos e em uma dessas entrevistas Sophia e Luan me pegaram de supresa. Eles me olhavam e riam como se aprontassem. Sophia disse a grande novidade que iria fazer participaçoes no no show do pai. E Luan finalizou dizendo que tava solteiro mas por pouco tempo. Fui pega completamente de surpresa com as duas novidades. Saindo de la, Sophia veio feliz da vida me dizer que nunca pensou ser tao feliz e que nao dissesse nao pra aquele projeto de viajar com o pai. Ele tentava uma reaproximaçao, mesmo que eu quisesse algo eu só conseguia afasta-lo. Um dia a gente tava na casa dele, eu procurava Sophia e me emocionei ao ver ele tão sozinho olhando pra aquela tela. O quarto tava meio escuro, o rosto dele se iluminava só com a luz do notebook, as musicas eram conhecidas, era Sophia tocando, quando abri mais a porta vi que as imagens eram fotos minhas, umas sozinhas e outras com Sophia. Ele percebeu minha presença e fechou rapido. " entao esse é seu esconderijo?" Ele tava meio triste. " gosto de ficar aqui, pra pensar, pra me inspirar, as vezes quando nao conseguia dormir ficava escutando minha pianista". " ela puxou a você, tem o dom de acalmar, encantar". Ele respira fundo " e é decidida como o mae". " so espero que ela nao deixe o amor se perder, nem sempre consigo fazer e dizer o que meu coraçao pede.
  • Agora a unica claridade era da lua que adentrava pela janela. Cheguei mais perto pra tentar olhar nos olhos dele. " me ajuda, me ajuda a te explicar o que sinto por você." O abracei e passei um mao em sua nuca fazendo ele levantar um pouco a cabeça e me olhar, levantei meu rosto deixando disponivel pra reaçao dele, foi a que eu ansiava, um beijo, um beijo tao ardente e cheio de desejo. Eu ja o amava mas nao sabia administrar isso, ele tambem me amava mas nao tinha coragem de assumir, nunca ouve um namoro e talvez por isso os dois ficassemos reservados. Mas Sophia foi mais qe um laço eternor entre nos, nos ensiniou a se entregar. O dia mais esperado por todos chegou, Luan tava tao nervoso no altar e eu contia as lagrimas antes da porta abrir. Quando entrei e vi meu amor no altar e minha pianista tocando Tudo Que Você Quiser, não aguentei. A parte mais emocionante mesmo foi quando Luan fez um discurso contanto nossa historia e chamando nossa pianista de cupido. Por mais que a gente planeje o futuro ele nao acontece da forma que imaginamos. Penso que em algum momento da vida eu devo ter feito algo muito bom e por isso Deus me recompesou assim, com a noite de meus sonhos quando ainda era muito nova, uma princesa que so me trouxe felicidade, um curso dos sonhos e a independecia morando fora e por fim uma familia que muitos desejam ter, com um homem lindo, amoroso, digno, companheiro... poderia colocar todos os adjetivos que conheço e ainda assim nao o qualificaria por completo. Olho para eles, Luan e Sophia, me pergunto ate quando vai ser assim, só felicidade. Mas depois percebo que o certo é nao ter medo de viver essa felicidade plena com medo de que um dia ela possa acabar e sim aproveitar cada minuto que Deus nos proporcionar. Se pudesse dar um conselho apenas diria, nao tenha medo de ser feliz, abra seu coraçao e viva o momento. Se plantar bem nao importa o tempo que demore você ira colher o que sonhou. E assim foi quando minha nova sementinha germinou, Breno veio pra nos completar e fazer feliz. Fim

MINHA PIANISTA - PARTE 1 (MINI CONTO)

  • Eu era muito nova quando aquela oportunidade aconteceu. Não pensei ser certo ou errado apenas aproveitei a situação, era o homem que sempre sonhei e desejei. Aquela noite alem das melhores recordações, ganhei um presente pra vida. Sophia! Parece que eu tinha dormido uma pessoa normal e acordei iluminada, foi uma realizaçao atras da outra. Nao passou de uma noite o que tive com ele, nem trocamos contatos, entao fui seguindo pra meu outro sonho, fui aprovada pra um curso na Europa, meu curso dos sonhos. Eu tava muito ansiosa e feliz por tanta novidade, cheguei a passar mal mas nem desconfiei que fosse um bebê. Quando descobri foi uma surpresa. Eu tava fora do país, sem familiares e sem nenhum contato com o pai. Mas tinha feito muitos amigos e todos me apoiaram, falei pra meus pais que ficaram igualmente surpresos mas felizes, me fizeram voltar pra o Brasil, mas nao era o que eu queria. Mesmo assim voltei. Eles me deram todo apoio e ficaram do meu lado quando decidi criar Sophia sozinha. Eu nao sabia como chegar pra o Luan e dizer "lembra de mim? Daquela noite a meses atras. Pois bem, você me deixou um presente, um presente pra nós pra vida toda." Nao sei como seria a reaçao dele, se iria me esnobar, se iria cobrar um dna, se iria me expor ou pior me esconder a todo custo. Eu so quis aproveitar cada instante. Ela tava prestes a nascer, eu tava comprando as ultimas coisas do enxoval quando entro em uma loja e dou de cara com ele, pra minha surpresa ele me reconheceu, me cumprimentou e perguntou pra quando era o nenem. Eu fiquei tao tensa que passei mal. Minha mae tava no shopping comigo mas nao tava naquela loja. Ele me socorreu e por enquanto tentava localizar minha mae ele me levou pro hospital. Ela chegou quando eu ja estava bem melhor. Eu dormia e ele velava meu sono. " pode ir, agora cuido dela, obrigada!" Mas ele queria mais, queria se despedir, falar algo mais, mas a hora o apressou, ele deixou o numero dele e pediu o meu pra saber se eu tava bem mesmo.
  • Quando acordei mamae me contou que ele parecia bem interessado e preocupado e que eu deveria tentar falar a verdade pra ele. Mal cheguei em casa ele me ligou, eu disse que tava bem, nem percebi que o tempo passou, passamos mais de uma hora naquela ligaçao no fim ele prometeu me visitar quando chegasse em Sao Paulo e foi o que aconteceu. Eu pensei como ele poderia ta interessado em uma mulher gravida, prestes a dar a luz, devia ser apenas uma preocupacao, uma afeicao de amigo. Ele veio me surpreendendo com um lindo presente pra Sophia. Ele tinha um brilho no olhar de felicidade e tambem por estar marejados. Eu nao precisei falar nada, ele sabia. Ele fez as contas, percebeu que eu estava so e quis confirmar. Nem consegui falar nada, uma lagrima respondeu por mim e ele me abraçou dizendo que ia ficar tudo bem, nao ia me deixar só e que seria um bom pai. Ele acompanhou o finzinho da gestaçao, o parto e os primeiros dias em casa. Depois ele viajou pra uma longa turner. Por uns meses ele passava rapido em casa e la em casa pra ver nossa menina. Entre nós parecia ter algo especial, porem velado. Nunca tive coragem de falar que o amava e ele... nunca teve coragem de dizer nada sobre nós. Sophia tava com 6 meses e eu ganhei uma nova oportunidade de ir pra Europa. Meus pais ficaram na duvida do que seria melhor pra mim, mas era o curso dos meus sonhos. Eles aprovaram minha ida e ate decidiram ir comigo porque nao seria facil enfrentar outro país, horas de estudo e cuidar de Sophia. A parte dificil foi convencer Luan. Pensei em diversas formas de falar. Tocar no assunto sonhos ele iria entender bem. Isso ate que ele entendeu, mas nao aceitou que eu partisse com Sophia, ele se propos a cuidar dela ate eu voltar, mas alem da criança precisar mais da mae, ele viajava mais que tudo. Eu nao deixaria ela ali e n desistiria do meu sonho. Ele achou que assim nunca mais nos veria e ele tinha razao.
  • Os meses e ate os anos se passaram rapido. Ele mal vinha pra Europa e eu mal ia ao Brasil. Eu sentia muito pela minha pequena porque por mal que ela visse ele, ela era louca pelo pai e eu sabia que ele tambem era por ela. Uma coisa ela tinha puxado a ele o dom da musica. Ela nao cantava mas tocava muito bem. Desde muito pequena ela se interessou por piano e eu como amava esse instrumento a incetivei. Ela sempre fazia apresentaçoes e eu sempre mandava pra ele. Ele nunca esteve em nenhuma. Ela ja tinha a habilidade de compor e com isso começou a despertar olhares e ser convidada pra participar de cursos e melhores escolas. Ela ja tava com 10 anos e ia fazer um concerto. Era um grande evento. Eu tinha mandado o convite pra Luan como os demais mas ja estava preparada pra filmar tudo pra deixa-lo por dentro. Por se tratar de um solo, ela tava muito nervosa e dizia que ele saberia o que ela sente e iria ajuda-la. Mas a gente ligava pra ele e nao conseguia. Nunca tinha visto ela assim e eu nao podia fazer nada. Ja era hora fui me posicionar na plateia, deixei com o coraçao partido. Eu nao sabia o que acontecia por traz daquelas cortinas e acabei perdendo de ver o mais lindo e puro sorriso de minha pequena pianista. Luan nao tinha muito tempo, mas foi ve-la, passou confiança e mais mostrou que era o de mais importante na vida dele. As luzes ja tinham se apagado e um homem veio sentar ao meu lado. Era o lugar reservado pra Luan, mas nao me importei porque sabia que ele nao via, eu tava tao focada que nem percebi que era ele, ate que... " parece que ta mais nervosa que a Sophia, eu ja falei com ela, ela ta ansiosa, mas confiante". Eu nem acreditei. Fiquei muito feliz, por Sophia, logico. Ela se apresentou com a segurança de um adulto experiente. Saimos de la juntos, Sophia agarrou Luan e nao largou mais. Ja era tarde e pensei que ele iria pra um hotel, ela convidou pra ele ir pra nossa casa e sem cerimonias ele aceitou, me deixando surpresa e de certa forma feliz.
  • Ela nao aguentou muito tempo e adormeceu. Agora era so eu e ele. Em todos esses anos nunca ficamos sozinhos assim. Era impressionante como o tempo nao parece passar pra um sentimento. Eu pensei, ja se passaram tantos anos, eu mudei tanto, nao sou mais aquela menina, realizei tantos sonhos, ele ta aqui agora e sozinho pelo que eu saiba, por que nao?... Eu sentia no olhar dele que ele queria dizer algo, que ele me desejava, ousaria a afirmar que ele me amava. Entao abri meu coraçao, tive coragem de dizer o que escondi de mim mesma por todos esses anos e em resposta eu escutei " eu te amo, sempre te amei, mas tive medo de me aproximar mais e te perder. Eu nao te entendia quando pensei que a gente ia se entender cê veio pra ca e nunca mais voltou". Ele tinha razao, eu que nao dei oportunidade antes, mas ele deveria ter se pronunciado, nao tinha como eu advinhar. " você nunca disse nada, quando terminei meu curso e pensei em voltar você curtia e muito a sua vida de solteiro e depois começou a namorar e... bem, agora é passado, nao adianta lamentar, agora sou uma mulher e to aqui dizendo que..." nem terminei de falar, ele me beijou. Sentir aqueles labios nos meus me fez voltar ao passado, me fez sentir uma adolescente e ao mesmo tempo uma mulher. Pra que mais esperar, me entreguei como na primeira vez. Nós dormiamos abraçadinhos, porem o toque do celular dele me acordou. Tentei deixar pra la, mas insistam muito, o chamei e ele apenas resmungou e virou pro outro lado. Peguei pra colocar no silencioso e bem na hora chegou uma mensagem, foi inevitavel nao abrir quando vi o remetente "amor". A cada palavra senti como uma punhalada, eu sei que ele queria e esperou por aquela noite tanto quanto eu, mas deveria ter sido sincero comigo. - meu amor to preocupada vc nao deu noticias. Ligo e vc nao atende. Quase fui descoberta com o cerimonialista. Estou esperando vc dizer pra todos a novidade. Te amo-
  • continua

QUE PEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEERFEITO MAINHA! NECESSITO DE O GUARDIÃO 3!
Anônimo

eita teria ate historia mas acho q nao vai rolar nao kkk 

mas obrigadaaaaaaaaaaaaaaaaaa <3


Há 2 dias 0 notas · reblog

Nessas eleiçoes nao tenha duvida VOTE no melhor VOTE @luansantana o país nunca mais será o mesmo.
Com sua mente jovem e madura, com sua beleza e sensualidade, com sua humildade e atos solidarios … ele só tem a agregar. Para um país mais bonito e cheios de abraços… vote Luan!!!
#luansantana #presidente


O GUARDIÃO II - PARTE 19 (fim)

  • Vejo que o fim tava proximo, nao aguentava mais aquilo. Era matar ou morrer e nenhuma das opçoes me agradava. Ela começou a falar suas lamentaçoes e como eu estraguei a vida dela, mas nem consegui escutar só me passava um filme na cabeça e era a minha historia, minha irma, a Nic, Luan, Breno, as pessoas que mais amei e amo vida. E era por eles que eu tinha que ser forte e estar disposta a tudo.
  • Pelo visto nao so eu estava disposta a tudo, ela sempre foi uma ameaça mas nunca tinha visto a morte assim tao de frente, ela apontava aquela arma pra mim e eu nem tinha como reagir. Entao fechei os olhos e agradecia todas as bençoes que Deus me deu e pedi pra Ele proteger Luan e as crianças. Lembrei daquela frase " Eu nunca pensei muito em como eu morreria, mas morrer no lugar de alguém que eu amo parece ser uma boa forma de morrer." Eu nao queria deixar minha familia, sabia o quanto ia ser dificil pra eles, mas preferia morrer ao ver um deles morrer ainda mais no meu lugar.
  • Em meio ao silencio escuto o som da morte, ou melhor do tiro. Em segundos sinto que estou nos braços de um anjo que diz que tudo terminou, agora eu estou bem. Era engraçado como era familiar aquela voz, aqueles braços... abro os olhos e era Luan.
  • Luan: tudo bem, tudo bem amor.
  • Eu: eu.. eu nao morri?
  • Ele sorri.
  • Luan: nao.
  • Eu: mas e o tiro?
  • Olho e Rita ta no chao. Fico perplexa que nem vejo que tem mais alguem ali.
  • Eu: e as crianças?
  • Luan: encontrei James vindo pra ca, deixei as crianças em segurança.
  • Eu: James?
  • Olho novamente e ele tava bem ali do lado de Rita. Ele tinha atirado na propria filha pra me defender, imagino a dor que ele devia ta sentindo aquele instante.
  • Eu: sinto muito.
  • James: eu deveria ter parado ela antes. Deveria ter evitado cair sua primeira lagrima minha menina.
  • Ele falava olhando pra mim. "Minha menina" meu pai sempre escrevia isso pra mim quando começava uma carta ou dedicava os livros. Olho pra Luan exixgindo respostas.
  • Ele olha pra James.
  • James: nao só Clara era minha filha, você tambem.
  • Eu: como? Ela ja num tava gravida quando vocês se conheceram?
  • James: você nao é minha filha de sangue, mas a filha que escolhi pra mim. Quando ela disse que tava gravida eu ja me vi pai. Imaginei nossa vida. So que ela nao quis deixar seu pai, teve medo. Mas eu me afeiçoei a você. Nao sei como explicar mas cê me conquistou antes mesmo de nascer.
  • Eu: entao tudo que aprendi e Clara, as cartas e livros... era você.
  • James: esse amor que dei pra você que nem tinha meu sangue era que mais pertubava Rita. Mas agora tudo acabou. Minhas duas filhas de sangue morreu e eu nunca vivi com elas um minuto de pai como vivi com você.
  • Eu tava muito emocionada. Ele se levantou e veio me abraçar. Nessa hora alguem mais apareceu.
  • James: calma Douglas.
  • Ele nem pensou e mostrou a arma, ele apontou pra mim e Luan entrou na minha frente, eu escutei dois tiros. Foi tudo tao rapido. Pensei ser o meu fim mesmo sem ter me atingido.
  • Esse Douglas estava estendido no chao e Luan segurava James. Sim, ele tinha entrado na frente de Luan.
  • Eu: James! Por que?
  • James: prometi cuidar dos dois. Douglas era louco por Rita, ele era sua ultima preocupacao. Agora acabou de vez.
  • Eu: aguenta mais um pouco. Eu vou.. eu...
  • James: ja cumpri minha missao. Luan... cuida da minha menina. Ela te ama mais que a vida dela. Eu nunca vi amor assim.
  • Ele ja nao tinha forças mais pra nada, mas antes de seu ultimo suspiro conseguiu escutar minhas palavras.
  • Eu: obrigada por tudo pai.
  • E em um sorriso ele partiu.
  • Aquilo tudo foi demais pra mim, mas agora eu sabia que poderia dormir, respirar, viver sossegada.
  • Saimos de la e pegamos as crianças sem olhar pra traz.
  • Nic: a gente ja vai pra casa?
  • Luan: vamos. Antes das ferias acabarem viajaremos de novo.
  • Agora o que mais queriamos era abraçar a familia e dizer que tava tudo bem.
  • Os pais de Luan e Bruna ja nos esperavam. Eu parecia bem mas precisava de muito apoio, apesar de tudo ter acabado eu tava em choque, mas como sempre pude contar com meu anjo.
  • Fizemos ainda uma viagem pra o interior do Brasil antes das ferias terminarem, ali era um pedacinho do céu. Aquele contato com a natureza, com os animais, aquela paz, fez muito bem pra todos mas principalmente pra Nic que acabou esquecendo os momentos de terror ficando apenas com as lembranças de uma nova versao, que ela era uma princesa que fugia da bruxa como no conto de fadas. Luan renovou suas forças pra voltar com todo gás a fazer os shows e eu... bem eu pude olhar o passado, o presente e imaginar o futuro.
  • Quando voltamos pra casa eu estava em puro estado de alegria. Peguei aquela caixa de cartas e li a primeira carta que fiz pra Breno...
  • Meu pequeno principe, por mais que pudesse imaginar como seria magico ter um ser crescendo dentro de mim nada se comparava com a real sensaçao é indescritivel. Me sinto uma nova pessoa, completa, feliz, capaz de tudo. Com certeza abençoada por Deus por ser escolhida pra carregar em meu ventre uma semente de meu amor. Junto a felicidade vem as duvidas se serei uma boa mae. A gente sempre quer ser a melhor. Mas o que é ser a melhor? Só tenho uma certeza tudo que farei é por amor. Porque amor maior nao ha que o de uma mae por um filho. Espero ansiosa pra te por no colo, sentir seu cheirinho e ouvir seu choro, ver seu sorriso e com quem se parece, sentir o o quanto é macia e quentinha sua pele.
  • Te amo, mamae!
  • Coloco a mao na barriga e me emociono.
  • Luan: com saudade de quando tinha um pedacinho de nós ai?
  • Confirmo com a cabeça
  • Luan: a gente pode fazer outro. Que tal?
  • Dou meu melhor sorriso.
  • Eu: que bom que acha isso amor, mas nao é preciso.fazer ele ja ta aqui.
  • Coloco a mao dele na minha barriga e vejo o olho dele brilhar.
  • Todos fizeram uma festa com a noticia. Breno ainda era muito pequeno apenas ficou feliz com a novidade, Nic a principio que ficou com um pouco de ciumes mas depois amou a ideia.
  • Por mais que a combinaçao de nomes tenha soado estranho no inicio, eu amei a ideia de homenagia-lo, James Rafael, foi o nome escolhido por Luan pra o nosso pequeno.
  • Luan: agora mais que nunca estamos completos.
  • Aos anos pareciam voar, eu ficava impressionada com a capacidade de Luan conseguir conquistar ainda mais coraçoes, ter uma atençao e amor por seus fãs e se dedicar pra fazer o melhor pra eles. Em casa ele era um paizao, um heroi, um guardião. E quando parece nao haver tempo ele ainda arruma pra ser aquele homem carinhoso e companheiro.
  • Não tinha como ser diferente Nic, Breno e James amavam os palcos, as viagens e dizem que serao cantores. Ainda é cedo pra confirmar mas acho que Nic vai acabar seguindo os passos de Bruna, porque alem de cantar ela ama atuar, Breno é que é a copia de Luan esse posso apostar que será mesmo cantor, já James tem muito de mim, nao tem como eu dizer o que será, mas acredito que vai amar a ciencia, pesquisas. Ficamos na torcida que sejam felizes a cima de tudo isso é que de fato importa.
  • Luan: sabe o que pensei amor?
  • Eu: que?
  • Luan: ja que as crianças estao grandes. Que tal uma viagem só a gente?
  • Eu era muito ligada a eles, nunca deixava eles sozinhos, mas era uma proposta irrecusavel. Deixamos eles com os avós e viajamos, ligavamos todos os dias e quando voltamos tinha novidades esperando por nos.
  • Mari: Nic ta com novidades mas ta com vergonha e medo.
  • Eu: que foi princesa?
  • Breno: ela ta namorando.
  • Luan: que?
  • É, uma nova fase começava em nossas vidas e meu guardião ciumento agora tinha uma nova preocupaçao, nossa primcesinha tinha crescido e Luan nao ia deixar facil pra nosso futuro genrinho. Fora essas preocupaçoes que todos os pais tem, tinhamos uma vida muito tranquila, cheia de amor e por mais que o medo de alguma coisa viesse um dia atingir eu sabia que nao precisava me preocupar porque tinha em minha vida o melhor dos homens, um anjo, O GUARDIÃO.
  • Fim

O GUARDIÃO II - PARTE 18

  • Eu tava passada, o que aconteceu comigo podia ter acontecido com minha mae e tudo ia ser pior porque no meu caso Luan sempre esteve ao meu lado, mas ai meu pai nao ia proteger minha mae e James nao tinha muito o que fazer, ele era muito jovem e sem estrutura de defesa como tem hoje.
  • Luan: quer que eu continue?
  • Eu: sim.
  • Luan: ele sofreu muito por nao poder estar com sua mae, com Clara e por ver como ela era infeliz. Quando ele percebeu que você ia seguir os passos dele ele te deu a atençao e o carinho que gostaria de ter dado pra sua mae e irma, ele nao conseguiu proteger Clara mas ficava agradecido e orgulhoso ao ver o que fazia por ela. Rita sempre soube que ele era pai dela e se sentia rejeitada. Ele nao contou o resto da historia da filha com a ex, mas agora entendo, consigo juntar com outras coisas que ele falou sobre Rita. Ela foi trabalhar la na intencao de ganhar atencao e amor do pai, mas ele sempre a ignorou e te apoiou, nao sei se ela sabe de Clara e a importancia da vida sua vida na vida dele, mas ela se sentiu preterida.
  • Eu: e quis tudo que era meu ja que sem querer eu tirei dela o que ela tanto sonhou.
  • Luan: amor a gente nao impoe, conquista e ela nao soube conquistar. Talvez nem seja culpa dela. A mae dela deve ter a envenenado por todos esses anos, ela nao deve saber o que é amor.
  • Eu: acho que ele pensava nao sentir nada por Rita a nao ser raiva, raiva que na verdade ele tinha da mae dela, mas ao ve-la ameaçada ele descobriu que se importava demais. Espero que ele esteja bem.
  • Luan: ele deve ta sim. Nao se preocupa.
  • Eu: nossa entao ele tinha mais motivos pra proteger a gente. Ele é avô da Nic.
  • Luan: uhum
  • Eu: depois que tudo isso passar vou apresentar eles. Ela vai gostar de ter mais um avô. Sabe eu me senti confusa tantas vezes. Eu sei que as vezes é complicado. Mas amor por favor sempre me diz a verdade.
  • Luan: se for preciso ocultar algo pra te proteger eu ocultarei, desculpa mor.
  • Eu: nao. Assim sempre vou viver imaginando que pode ta mentindo pra mim.
  • Luan: eu sei que doeu muito, doeu em mim tambem te ver daquela forma.
  • Eu: nao Luan, cê num tem noçao como doeu. Eu vi o homem que mais amo, que eu entreguei minha vida, com outra mulher e pior me rejeitando com o olhar frio como nunca imaginei. Eu nao entendia como tinha sido capaz de acreditar nela, mas tambem nao conseguia processar a ideia de que você podia ser tao frio.
  • Luan: nem eu. Amor - ele me abraça, beija minha testa, pega no meu queixo e olha dentro dos meus olhos - eu nao mudei, nao vou mentir pra você, mas quando ela ameaçou o Breno...
  • A voz dele travou e os olhos ficaram marejados.
  • Luan: foi tudo culpa minha, eu deixei nosso pequeno nas maos dela, ele confiava nela, seria tao facil ela levar ele. Por mais que eu colocasse segurança, cê sabe que tinha como ela chegar nele, eu nunca ia me perdoar nem você ia me perdoar. Eu desabei e ela usou minha fraqueza. Sem pensar propus ficar no lugar de Breno.
  • Eu ja tava me acabando em lagrimas.
  • Luan: ela gostou da ideia, pedi um tempo.
  • Eu: James sabia de tudo?
  • Luan: nao. Quer dizer eu nunca mais tinha falado com ele mas ja tinhamos deixado tudo acertado que fariamos o que fosse preciso pra proteger você.
  • Eu: continua.
  • Luan: eu consegui deixar as crianças seguras e a parte mais dificil era fingir que sentia raiva de você, ela que comandou cada passo, cada palavra minha, eu so consegui negociar uma coisa, que nao tocaria nela, mas ela exigiu que eu fingisse muito bem. Sera que tem como apagar tudo que viu e sentiu? Sera que um dia vai me perdoar por tudo?
  • Aquele jeitinho triste e arrependido dele me partiu o coração. Eu abracei ele e senti ele mais aliviado.
  • Eu: sei que tudo isso foi preciso. Eu te amo e cê me ama. Eu sei disso.
  • Cartas na mesa, familia reunida, agora era voltar pra casa e tentar viver da maneira mais normal possivel. Breno era muito pequeno e nao teve traumas, mas Nic que sempre foi muito esperta podeia nao ter entendido tudo mas sabia que algo tinha desestabilizado a gente e ela tinha medo de perder a qualquer um de nós.
  • Um mês tinha se passado, estavamos em casa, agora tudo era mais tranquilo. Nao nos desgrudavamos mais.
  • Eu: tava pensando se ja nao é hora de falar com James, apresenta-lo a Nic.
  • Luan: eu tava pensando nisso, mas...
  • Eu: que foi?
  • Luan: sera que isso é seguro pra Nic?
  • Eu: por que nao?
  • Luan: a gente nao sabe ainda como ficou Rita. Ela ainda pode tramar algo.
  • Eu: a gente fala com James primeiro.
  • Preparei meu emocional pra reencontra-lo. Ele tava bem, mas frio, eu nao entendi isso.
  • Eu: primeiro obrigada por tudo. Luan me falou de Clara, nunca pude imaginar, deve ter sido anos de sofrimento.
  • James: passado, aprendi a superar.
  • Eu: mas ainda ha tempo de viver em familia, Nic ta ai e iria amar ganhar um avô, na verdade viemos pra falar disso.
  • James: a minha escolha de nao ter familia é pra sempre.
  • Eu: mas...
  • James: você nunca vai entender? Nao correu riscos suficientes?
  • Eu: pensei que...
  • James: nao pense. Me esqueça.
  • Eu: por causa da Rita?
  • James: o mundo nao é feito de amor e amizade, é feito de ganancia, favores e chantagens e por isso a gente nunca ta seguro.
  • Eu: ta me assustando.
  • James: nao vai acontecer nada com sua familia, eu te prometi cuidar do Luan e prometi ao Luan cuidar de você, já é demais pra mim.
  • Eu: desculpa na quero te sobre carregar. Nao achei que seria assim. Pensei que fosse gostar.
  • Luan: vamo embora. Obrigado por tudo James, quando precisar de qualquer coisa sabe onde encontrar a gente, mas se preferir, adeus.
  • James: adeus.
  • Eu: espera, nao pode terminar tudo assim. Cê me deixou preocupada.
  • James: ja falei nao precisa.
  • Eu: posso ao menos te abraçar?
  • Ele ficou em silencio eu entendi como um sim, senti que apesar de transparecer frieza seu coraçao disparava e sua mao era um pouco tremola.
  • Luan: nao se preocupa mor.
  • Eu: como nao. Algo ta acontecendo. Sabe de alguma coisa?
  • Luan: nao. Ele nao falaria nada pra mim sabe que eu contaria pra você. Mas acho que ele ta querendo nos proteger.
  • Eu: e ficar longe ajuda?
  • Luan: tomara que sim.
  • O sol iluminava o sorriso de Breno que tentava fazer um castelo de areia. Aquela areia tao branquinha e o mar azul transparente me fazia sentir no paraíso. Luan e Nic não queriam sair da agua. Minha pequena sereia tava encantada.
  • Eu tinha um olho no Breno e outro em Nic e Luan, mas me distraia vendo aquela paisagem, tinham poucos turistas mas um me chamou atençao. Eu fiquei vidrada nele mas Luan chegou quebrando minha atençao.
  • Luan: morto de fome.
  • Eu: era de se imaginar.
  • Nic: tambem to com fome.
  • Eu: daquelas de comer um peixao?
  • Nic: beeeem grande.
  • Eu: esfomeada como sempre.
  • Nic: como o papai.
  • Eu: vem amor a gente vai comer. - pego Breno no colo.
  • Fomos pra um restaurante ali perto.
  • Luan: ta tensa amor?
  • Eu: depois te conto.
  • Nic: mamae vou no banheiro.
  • Eu: eu vou com você.
  • Nic: ja sou mocinha.
  • Luan: é bem aqui em frente a gente ta de olho, relaxa mor.
  • Eu: nao.
  • Fui com a Nic na volta ela quis ficar no parquinho enquanto nao saia a comida. Fiquei ali colada nela, mas Luan me chamou.
  • Eu: ta pronto?
  • Luan: nao. Esse rapazinho que ta precisando de você.
  • Eu começo a rir.
  • Luan: é serio.
  • Eu: cade aquele paizao que faz tudo? Leva ele no banheiro uai.
  • Nao fiquei mas naquela porque Breno tava mesmo precisando ir ao banheiro. Deixo Luan olhando Nic e quando volto do banheiro ela ja tava na mesa com umas flores lindas.
  • Eu: hmmm que lindas. É pra mim?
  • Nic: nao. Sao minhas.
  • Eu: e eu nao ganho nao é Luan Rafael?
  • Luan: nao fui eu quem deu pra ela.
  • Eu: quem foi? - ja falo apreensiva.
  • Luan: Ela pegou mor. Olha so nosso peixe.
  • Eu: Nic quem deu?
  • Ela me olhoi meio na incerteza se poderia dizer.
  • Eu: amoooor. - olhei pra ela daquele jeito relembrando que nao gosto de mentiras.
  • Nic: foi um homem, eu achei que ele era aquele homem que tava com o papai la naquele dia, mas ele disse que nao.
  • Luan: que?
  • Eu: era isso Luan, eu achei que tinha visto o James e agora isso. É ele mesmo. Mas o que faz aqui?
  • Nic: vai começar tudo de novo mamae?
  • Eu ate perdi a fome, mas nao quis assustar Nic. Quando chegamos no hotel, demos banho nas crianças e logo dormiram.
  • Luan: eu sei amor que ta tensa, mas deve ser uma coincidencia.
  • Eu: um homem da flores a sua filha e você nem liga. Onde você tava?
  • Luan: eu tava olhando ela mas a comida chegou, em um instante que dei atençao ao garçom ela ja me apareceu com aquelas flores.
  • Eu: poderia ter sido uma coisa horrivel, é so preciso um segundo pra uma criança se machucar, se perder ou ate mesmo ser levada.
  • Luan: relaxa.
  • Eu: cê ta sabendo de alguma coisa num ta?
  • Luan: num consigo esconder nada de você ne? Eu voltei a falar com James depois daquele dia. Tambem achei tudo tao estranho so nao queria te preocupar. E disse que a gente ia viajar e aqui longde de tudo e todos ele poderia se aproximar de Nic.
  • Eu: por que nao me disse?
  • Luan: ele disse que nao viria e que era pra esquecer aquela historia.
  • Eu: mas ele ta aqui.
  • Luan: é, deve ser ele mesmo. Mas fica tranquila ele so quer se aproximar da neta do jeito dele.
  • Respiro mais aliviada. Luan vai fazendo massagem em meus ombros enquanto me conduz pro banheiro.
  • Luan sussurra: vou deixar cê bem relaxadinha.
  • Ali eu esqueci de tudo. Depois do amor eu durmo aliviada, quando acordo encontro um bilhete.
  • - Amor as crianças acordaram mas cê tava dormindo tao bonitinho, to levando elas pra tomar um sorvete. Nao esquece... ' Se o mal chegar, entro na frente pra te proteger
  • Eu te amarei por 1001 motivos' TE VIVO! seu guardiao -
  • Eu: awn que lindo. Tem como nao ama-lo cada dia mais?
  • Escuto um barulho e acho que sao eles chegando.
  • Eu: cade minhas vidas, meus tesouros, meus querubins.
  • Rita: que alegria!
  • Paro supresa, o coraçao dispara e sem me mecher olho pra todos os lados, parece que estamos sozinhas.
  • Rita: agora é só nós.
  • Eu: cê sempre ta onde to. Quando vai parar com isso?
  • Rita: quando você parar de ser a preferida e ja que nao deu pra acabar essa felicidade te separando dos seus "querubins" - aspas com os dedos - vou fazer algo mais definitivo.
  • Continua

O GUARDIÃO II - PARTE 17

  • Eu troquei olhares com Luan. E por telepatia nos entendemos. Eu iria distrair Rita enquanto ele se aproximaria e pegaria ela de repente.
  • Eu: eu faço o que quiser so deixa minha familia em paz.
  • Rita: to com meu passaporte pra felicidade na mao.
  • Eu: ele é so um bebe.
  • Rita: um bebe insuportavel que chorou muito quando você abandonou ele, mas eu fiz meu trabalho direitinho sabia que um dia iria precisar dele.
  • Eu: eu nunca o abandonei.
  • So mais uns passos e ele a pegaria. Mas deram um tiro pro alto.
  • Rita: achavam que eu tava só? Se arriscaram demais.
  • Ela soltou um pouco Breno ameaçando ele de novo e em fraçoes de segundo Luan o pegou. Mal deu pra relaxar senti ela me agarrando. Nao fazia parte do plano dela, mas ela sabia que estava segura comigo de escudo.
  • Eu: tire ele daqui Luan. Tiiiiira!
  • Rita: ah!antes se despede da sua mulherzinha.
  • Eu penso em fazer algumas besteiras como nos jogar de penhasco a baixo. Eu morreria mas minha familia ia ter paz. Mas escuto Luan dizendo " te amo" e aquilo me deu forças pra lutar um pouco mais. Luan saiu com Breno e ela se afastou um pouco de onde estavamos. Quando vi que Luan tava seguro com James, nem pensei e dei uma cotovelada nela, ela caiu no chao, eu fui correr e ela puxou meu pé me fazendo cair. Ficamos brigando ali. Luan nao podia fazer nada com Breno no colo. James nao podia atirar porque podia pegar em mim. Tanto os homens dela como os do James nao fizeram nada.
  • James: sai daqui Luan.
  • Luan: nao sem ela.
  • James: pense em seu filho.
  • Vai!
  • Ele sabia que tudo aquilo nao ia terminar bem, nao queria me deixar ali, mas sabia que James estava certo. Breno em primeiro lugar. Ele saiu contrariado dali mas foi sem olhar pra traz.
  • Eu: acabou. Agora nada mais importa, minha familia ta salva.
  • Rita: mas cê ainda ta aqui.
  • Eu: eles aprenderam a sobreviver sem mim uma vez, sobreviverao de novo se for preciso, mas estao livres de você.
  • Eu nao tinha o pensamento de desistir da vida, ainda mais depois de tudo que passei, depois daquele "eu te amo" do Luan. Eu sabia mais que nunca que ele me amava, que foi capaz de mudar da vida dele por mim, por nossa familia, meus pequenos tambem me esperam. Falei aquilo pra Rita pra ela pensar que não tenho o que perder e quem sabe desistir de mim. Pode nao ter feito ela desistir, mas me deu mais garra e desestabilizou ela.
  • Depois tapas, puxoes de cabelo, consegui imboliza-la, poderia sufoca-la. Nunca imaginei que seria capaz de matar, mas diante aquela situaçao nao sei do que seria capaz. James veio em nossa direçao, ele tava tao confiante sem medo de ser atingido e quando nao imaginei ele me surpreendeu.
  • James: nao mate ela.
  • Agora quem se desestabilizou fui eu e ela nao teve dó e reverteu a situaçao. Agora eu estava nas maos dela
  • James: solta ela, ja chega.
  • Eu nao entendia mais nada. Ele tava no meio daquele mata mata e falava como se fossemos duas crianças.
  • James: aonde quer chegar com tudo isso? Nao precisa dela.
  • Aquele coraçao maquiavelico começa a desabar e vejo Rita chorando e nao parecia encenaçao. Rita: é sempre ela.
  • James: mas ela nunca teve culpa.
  • Rita: ela ganhou o que você nunca me deu. Se ela nao existisse...
  • James: nada mudaria.
  • Rita: por que me odeia?
  • James: nao te odeio, se odiasse deixaria ela ter te matado.
  • Rita: nao deixou pra ela nao deixar de ser uma boa menina, nao queria que ela sujasse as maos e se torturasse.
  • James: nao. Apesar de você ser igual a sua mãe, eu nunca odiaria uma filha minha.
  • Meus olhos se arregalaram. Pai e filha? O que mais James me escondia?
  • Eles lavavam a roupa suja, eu fiquei ali sem entender nada e sem saber o que fazer. Desde que confiei tudo a James muitas coisas aconteceram mas ele sempre me protegeu. Lembrei de quando ele me comparou a Clara e disse que a conhecia. So me falatava ele dizer que era meu pai e aquele homem que conheci como pai era um estranho. Acho que nada disso importava agora, o ponto era se eu ia sair viva dali ou nao, se o meu pesadelo acabaria hoje ou nunca teria fim.
  • James: dispensa todos.
  • Rita: e você me mata.
  • James: eu nunca faria isso.
  • Rita: o que vai fazer comigo?
  • Pensei: Que? Vai ser facil assim? Tudo que vivi, que sofri, poderia ser evitado com uma conversa?
  • Senti minha respiraçao ficar ofegante, eu tava com raiva e nao era de Rita, era de James. Por que ele fez isso comigo? Se Rita foi cruel ele foi ainda mais.
  • James: deixa ela ir e prometo nao fazer nada com você, prometo ter uma conversa e responder todas suas duvidas.
  • Ela fica tentada, sinto ela me soltar um pouco. Eu pensei em empurrar ela, correr ou pular em James e pedir explicaçoes, mas resolvi esperar e tava certa.
  • Rita: eu vou deixar ela ir mas você fica.
  • Ela chama um dos homens dela e ele um dos dele.
  • Rita: Mira nele.
  • Ela me soltou quando viu que James nao tinha saida. Meus olhos se encheram, foi muita emoçao, nao sabia o que me emocionava mais, me sentir livre e poder voltar pra casa ou ver que ele agora era o novo refem dela.
  • James: leva ela em segurança.
  • Ia agradecer, perguntar como ficaria agora, mas nem tive tempo de reagir, o cara me empurrou e ele foi pra outro lado com Rita.
  • Ja no carro eu quis ligar pra Luan, mas ele nao deixou, ele era um homem muito serio e reservado, nao trocamos uma palavra.
  • Enquanto isso eu pensei em tudo que aconteceu naqueles ultimos minutos... James pai de Rita... aquilo era demais pra mim. Ele mesmo tinha dito que acabaria com ela e depois pareceu tao maleavel, pensei em meus filhos e entendi ele ter pedido pela vida dela.
  • Um filho é um pedaço de nós, por mais que saia diferente e haja oposto suas convicçoes ele ainda é seu e um pai só deseja o melhor aos seus.
  • Eu ainda nao entendi porque eu e Clara entramos nessa. Mas agora o que queria era chegar em casa, na casa Bruna na verdade, poucas horas me separavam dos amores da minha vida.
  • Era muita expectativa, esperava encontrar felicidade e paz .
  • Já era muito tarde. O carro parou e eu sai correndo. Pensei que todos estariam dormindo, porem Nic e Luan me esperavam. Eles tinham a certeza que eu voltaria pra casa.
  • Ele abre a porta e ficamos ali parados, emocionados, sentindo a emoçao de acordar de um pesadelo, foram fraçoes de segundos, mas deu pra passar uma historia em nossas mentes e antes que nossos braços se entrelaçassem senti outro abraça que amo demais.
  • Eu: oi princesa.
  • Nic: mamae! Cê veio pra ficar ne?
  • Eu: sim. Acabou o sofrimento.
  • Luan nos abraça e ainda ali na porta nos choramos.
  • Bruna acabou acordando.
  • Bru: cunhaaa. Ainda bem. Graças a Deus que tudo acabou.
  • Nos abraçamos e ela percebeu que seria bom se ela colocasse Nic pra dormir.
  • Bru: vamos mocinha. Ja ta na hora de dormir.
  • Eu: amanha a mamae promete passar o dia com você, Breno e papai.
  • Bru: e eu ne?
  • Eu: claro cunha. - pisco pra ela.- obrigada!
  • Bruna leva Nic e Luan pega em minha mao, vai aproximando nossos corpos.
  • Luan: agora é só nós amor.
  • Eu: pra sempre.
  • Ele beija minha testa e eu levanto o rosto e nossos olhos se cruzam e de tanta emoçao parecem falar o quanto é grande nosso amor, nossos labios se encontram.
  • Foram dias cansativos mas tambem de muita saudade. Ele me deu banho, fez massagem, namoramos e por um instante esqueci de tudo, mas nao consegui dormir, ele tambem nao entao resolvi tirar minhas duvidas.
  • Eu: amor como você conheceu o James?
  • Luan: lembra quando cê disse que tinha alguem que ia ajudar e dias depois Rita apareceu? Ela me disse que ele era seu amante e me passou o endereço dele pra eu poder te flagrar. Em nenhum momento desconfiei mas achei bom ir sondar quem era o cara. Cê ja tinha passado por tantas coisas.
  • Eu: entao cê sabia que ela sabia da minha ligacao com James. Por que nao contou?
  • Luan: ai que ta. Cheguei la e ele ja foi me abordando, fiquei com medo mas por saber quem eu era ele confiou em mim e pra te proteger melhor eu nao pude falar nada.
  • Eu: o que ele te disse? Falou que ele é pai da Rita?
  • Ele olhou dentro dos meus como se me preparasse pra uma longa e reveladora historia.
  • Luan: nao esta cansada?
  • Eu: nao. Conte tudo.
  • Acho que ele nao sabia como começar.
  • Eu: ta me deixando mais ansiosa.
  • Ele pega na minha mao e eu sinto que vem bomba.
  • Luan: lembra que seu pai e sua mae viviam brigando?
  • Eu: uhum!
  • Luan: a Clara é filha do James.
  • Ele foi tao direto que se nao tivesse sentada tinha caido .
  • Eu: como assim? Num pode ser. Explica melhor.
  • Luan: agora que ja falei a parte mais louca vou falar como tudo começou.
  • Alguns fatos foram se encaixando.
  • Luan: ele nao me disse quem era a outra menina da historia mas agora sei que é Rita. Bem, ele era muito jovem quando se apaixonou por uma mulher linda e sedutora, mas com pouco tempo ele descobriu que essa mulher nao valia nada, que o enganava na primeira oportunidade, era fria e calculista. Ele terminou tudo com ela e fez uma viagem pra tentar esquecer, nessa viagem ele descobriu o verdadeiro amor, so que essa mulher estava de casamento marcado, ela pensou largar tudo e ficar com ele mas descobriu que tava gravida e o deixou, seguindo a vida como o planejado. Quando ele voltou pra cidade dele a ex disse que estava gravida, ele nao acreditou que fosse dele, nao conseguia amar aquele bebe. Sem a mulher amada e com a vida conturbada com a ex ele resolveu seguir carreira na profissao de pesquisador. Era uma boa saida abdicar da vida social e ficar enclausurado no laboratorio. So que isso revoltou ainda mais a mae da filha dele que agora sabemos que é a Rita. Eu: mas e minha mae nisso?
  • Luan: sua mae era a mulher da vida dele que tava gravida. Numa ferias dele, eles se reencontraram, por ela nao ta bem com seu pai acabou rolando e ela engravidou de Clara. Ela nao disse nada ate porque nao sabia onde encontrar ele mas como você sempre tinha como saber de Nic ele tambem tinha a forma dele de saber de sua mae e descobriu sobre Clara. Ele fingiu nao saber nada pra portege-la da mae de Rita.
  • Continua

Parte final rola hj?!
Anônimo

siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim


Continuuuuuuuaaaaaa
Anônimo

agorinha


O GUARDIÃO II - PARTE 16

  • Eu nao podia me arriscar sair daquele lugar, ligar pra James ou algo assim. Instrui Nic nao falar nada sobre nos pros novos vizinhos. Era um lugarejo tao pequeno, mas nao podia da um passo em falso.
  • ...
  • James: Bruna?!
  • Bruna: James num é?
  • James: tenho novidades.
  • Bruna: o que? Luan ja ta desesperado.
  • James: Rita ta viajando em direcao a uma cidade bem pequena em direçao a fronteira com o Canada. Vou hoje mesmo pra la. Diga a Luan pra ficar aqui. Tudo indica que isso chega ao fim. E ele vai ter a familia dele de volta.
  • Bruna: como sabe?
  • James: nao posso contar tudo. Mas é um lugar muito pequeno, sem testemunhas, o pessoal dela e o meu vao trabalhar livremente sem medo de serem descobertos.
  • Bruna: ta falando que... vai matar ela?
  • James: o quanto menos você souber melhor.
  • Bruna: e a (seu nome)? Ela ta la?
  • James: acredito que sim. Rita deve ter descoberto o paradeiro dela.
  • Bruna: protege ela e as crianças. Luan disse que o alvo de Rita é Breno.
  • James: nao se preocupe.
  • Bruna ligou pra Luan marcando um encontro urgente, disse tudo deixando bem preocupado.
  • Luan: eu tambem vou.
  • Bruna: endoidou? Deixa ele trabalhar com a equipe dele.
  • Luan: nao sei quantos fazem parte da equipe da Rita, mas do James nao chega a 5 pessoas. Eles estao em desvantagem.
  • Bruna: eles sao treinados, cê so vai atrapalhar, ser mais um pra ele cuidar.
  • Luan: Bruna nao posso ficar aqui de braços cruzados.
  • Bruna: e vai pra onde se nem sabe que cidade é essa.
  • Luan: eu acho que sei sim. (Seu nome) sempre falava de umas cidadezinhas que ela veio fazer uma coleta de dados ha anos. Deve ser uma dessas.
  • Bruna se arrepende de ter contado. Agora ela so podia rezar porque ninguem segurava o Luan.
  • Luan tinha razao com relaçao a cidade e acabou encontrando James no caminho.
  • James: aonde pensa que vai?
  • Luan: Você ate pode tentar mas nao vai me impedir de estar com minha familia, proteger eles.
  • James: proteger? Como vai protege-los? Protege mais ficando longe. La so vai atrapalhar.
  • Luan: a gente ta perdendo tempo
  • James viu que a unica coisa que faria Luan nao ir seria prende-lo ali mesmo, mas nao podia fazer isso entao tentou instruir ele.
  • Luan: assim que chegar la pego minha familia e escondo todos e você faz sua parte.
  • James: espero que seja tao facil como imagina.
  • ...
  • Eu brincava de pega pega com Nic e Breno, Nic se afastou um pouco e eu coloquei Breno no colo e corri atras dela. Ela num segundo sumiu e eu fiquei desesperada.
  • Eu: Niiiiic... Nic por favor aparece, é pega pega e nao esconde esconde.
  • Mas ela nao respondia. Ou eu tava muito traumatizada ou tava tudo muito estranho. Meu coraçao batia desesperado, eu sentia as lagrimas inundarem meus olhos, minhas pernas tremulas corriam meio sem direçao.
  • Gritei com minha alma.
  • Eu : NIIIIIIIIIC!
  • Escutei risadinhas e meus sentidos começaram a responder normalmente.
  • Eu: meu amor aparece. Por favor.
  • Ela sai de traz de uma arvore e rir. Colo Breno no chao e chamo Nic, espero de braços abertos, foi muito rapido, ela veio correndo e eu so queria sentir que tava tudo bem. Quando a tenho em meus braços, fecho os olhos aliviada e quando abro vejo Breno se distanciar. Corri pra pega-lo achei que tinha visto algum animalzinho que chamou a atençao dele, mas nao. Alguem foi mais rapida que eu e meu chao sumiu.
  • Eu: solta ele.
  • Ela riu com ar de vitoria.
  • Eu: Nic cola em mim.
  • Nic abraça minha cintura.
  • Eu: Rita me da o Breno.
  • Rita: so to matando a saudade do meu filhinho. Vamos passear Breno?
  • Eu: Nao.
  • Rita: você é apenas uma pessoa que ele gosta, mas eu sou a mamae dele.
  • Ela começou com aquele joguinho emocional. Eu nao sabia se ela tava so ali. So sei que eu tava so com duas crianças.
  • Nic: mamae nao deixa Breno com ela.
  • Eu: nao se preocupa meu bem.
  • Rita da as costas e sai com ele.
  • Eu: Breninho vem pra mamae.
  • Mas ele nem ligou pra mim. Ela tinha razao em uma coisa, ele ainda tinha memoria que ela era a mae dele. Ele sorria feliz no colo dela pro meu desespero.
  • Nic: e agora?
  • Eu: vamo atras deles. A gente vai pegar Breno. Amor nao solta da minha mao por nada.
  • Cheguei perto e pensei puxar Breno do colo dela mas tive medo dela machucar ele e eu traumatiza-lo. Mesmo assim estendi os braços e Nic me puxou.
  • Nic: olha mamae.
  • Tinha dois homens a postos prontos a fazer algo contra mim.
  • Rita: diz adeus a Nic, Breninho.
  • Ele ainda da tchau.
  • Eu: naaaaao.
  • Fiquei sem saber o que fazer. Ela vai e eu a perco de vista, os homens somem tambem e eu fico a chorar, abraçando a Nic. Quando escuto aquela voz que sempre me acalmava.
  • Luan: (seu nome)! Nic!
  • Nic se solta de mim e corre pra Luan.
  • Luan: ta bem? Cade seu irmao?
  • Nic: ela levou ele, tinham dois homens, mamae nao pode fazer nada.
  • Luan foi ate mim, se abaixou e me abraçou.
  • Eu: pensei que tivesse cuidado dela.
  • Luan: tentei. Amor as coisas nao aconteceram como você imagina.
  • Eu: isso nao importa agora. Agora so quero meu filho.
  • James: Luan tira a Nic e a (seu nome) daqui. A gente cuida dela e do Breno.
  • Eu: que? Cês tao juntos?
  • James: depois explico. Tira elas daqui agora.
  • Luan: mas...
  • Eu: eu nao vou deixar ela com Breno.
  • James: mas vocês aqui nao ajudam. E Nic ta em perigo. Vao por ela.
  • Eu olho pra Luan sem saber o que dizer.
  • Luan: vem amor.
  • Luan me coloca num carro e manda eu ir com um a gente.
  • Eu: e você?
  • Luan: eu vou ajudar o James. Eu volto pra casa com nosso filho.
  • Ele me deu beijo de despedida. Nao era aquele beijo doce como de costume. Era salgado por causa de nossas lagrimas.
  • Mesmo incoformada eu segui com o agente.
  • James: que ta fazendo aqui Luan?
  • Luan: eu posso tentar negociar.
  • James: a gente vai tentar cercar ela.
  • Luan: mas ela nao deve ta so com esses dois homens.
  • James: perto de onde ela ta indo tem uns pontos estrategicos. Ja que ta aqui. Cê pode ajudar em algo sim.
  • Luan: em que?
  • James: ele deve ta com saudades sua, vai querer vir pra seu braço, tente pegar ele, assim que tiver ele nas maos a gente acaba com ela.
  • Luan: ela disse que tem outras pessoaa atras da (seu nome).
  • James: ja chequei isso. O grupo que a levou ainda queria ela pra mais trabalhos, mas ja negociei outras pessoas.
  • Luan: e um cara que é a fim dela?
  • James: tem, mas ele nunca faria mal a ela. Acabando com a Rita termina tudo.
  • Eles ja estavam vendo ela.
  • Eu passei de carro e a vi sozinha com Breno.
  • Eu: pare o carro.
  • Agente: nao.
  • Eu: pare. Por favor.
  • Agente: as ordens foram claras.
  • Eu: eu pulo desse carro em movimento.
  • Nic: nao mamae.
  • Ameacei puxar o freio de mao. Claro que nao ia fazer isso Nic tava dentro do carro e nao queria coloca-la em risco, mas em vista a meu desespero e determinacao ele parou.
  • Eu: amor vai com ele. Leva ela pra Bruna.
  • Nic chorava e me abraçava, suplicava pra eu nao ir. Mas eu tava com um plano.
  • Ele seguiu com Nic e eu fui me aproximando dela sem ela ver. Na verdade Luan fazia o mesmo so que em outra direçao. Eu nao o via nem ele a mim. Ate todos se verem. Ele de um lado e eu do outro, ela nao tinha saida.
  • Rita: que cena mais linda. Olha Breno papai e essa ai querendo pegar sua mamae.
  • Luan: solta ele, é melhor pra você.
  • Rita: vem pegar.
  • Luan ainda da uns passos em direçao a ela e ela ameaça jogar Breno, ela tava do lado de um penhasco. Eu senti meus pes gelarem.
  • Eu: o que você quer é comigo.
  • Deixa Breno ir com Luan e eu fico no lugar dele.
  • Rita: eu nao quero você. Eu quero ver sua infelicidade.
  • Continuaaa